Loading. . . (x)




FONTE: http://www.dgs.pt/upload/membro.id/ficheiros/i006345.pdf

 

Raquialgias


Definição

A raquialgia ou dor na coluna vertebral é um sintoma muito prevalente, sendo os segmentos cervical e lombar os mais frequentemente afectados, em virtude de serem os de maior mobilidade.

A cervicalgia deve-se, na grande maioria dos casos, à deterioração degenerativa ou à alteração funcional das estruturas musculoligamentares. As alterações radiológicas da cervicartrose são muito frequentes, atingindo mais de metade das pessoas com idade superior a 40 anos, mas assintomáticas na maioria dos casos.

A lombalgia constitui um importante problema de saúde pública, sobretudo nos países industrializados, em virtude de ser frequente e afectar uma parte da população em idade activa, conduzindo ao absentismo laboral e significativa quebra de produtividade. O peso sócioeconómico da invalidez por lombalgia tem aumentado, de forma exponencial, nestes países, sendo os custos mais significativos atribuídos às suas formas crónicas.

A lombalgia é um sintoma e não uma doença. As suas causas são múltiplas e incompletamente conhecidas: o mesmo sintoma, dor, pode resultar de situações de fisiopatologia diferente. Designa-se, consoante a duração, como aguda ou crónica, sendo crónicas as que persistem mais de 3 meses. A forma crónica representa apenas, 7% das lombalgias, mas estima-se ser responsável por mais de 75% dos custos com esta afecção. Consoante o seu mecanismo etiopatogénico pode classsificar-se como lombalgia mecânica ou não mecânica.

A lombalgia mecânica, ou comum, define-se como uma dor devida a sobrecarga ou uso excessivo de uma estrutura anatómica normal, ou secundária a trauma ou deformidade e pode ter subjacente uma alteração degenerativa discal ou das articulações interapofisárias posteriores. As formas não mecânicas, atípicas ou sintomáticas, podem resultar de situações heterogéneas - inflamatórias, infecciosas, metabólicas ou tumorais, ou ser uma dor projectada, com origem extraraquidiana. Devem ainda ser consideradas as causas traumática e psíquica.


Factores de risco

Entre os principais factores de risco de lombalgia incluem-se:
  • idade superior a 45 anos;

  • sexo feminino;

  • tabagismo;

  • alcoolismo;

  • factores profissionais;

  • factores psicológicos.


Junta-te à APDJS no apdjs